Multa por software pirata pode chegar até 3 mil vezes o valor da licença

Empresas podem sofrer multas, danos reputacionais e perdas financeiras

Ser flagrado pelos desenvolvedores usando software pirata pode gerar uma indenização de até 3 mil vezes o valor da licença. Isso significa que as auditorias e as fiscalizações realizadas por essas empresas estão colocando muitos negócios em uma difícil situação financeira.

O uso irregular de sistemas operacionais, editores de textos e banco de dados ainda é uma prática comum no Brasil. No entanto, o hábito vem causando problemas e fazendo com que organizações de todos os portes e segmentos tenham perdas financeiras consideráveis.

Por exigir estudos e investimentos dos desenvolvedores, os programas para computador são considerados propriedade intelectual e o direito à sua venda e uso é protegido por lei. Segundo a Associação Brasileira das Empresas de Software (ABES), 46% dos programas comercializados no Brasil são piratas, número que revela um prejuízo de US$ 1,7 bilhão para o setor.

Acontece que as ações de fiscalização estão se intensificando e, todos os anos, milhares de links, anúncios e sites estão sendo denunciados e retirados do ar. Somado a isso, as ações de auditoria dentro das empresas crescem e elas são obrigadas a fornecer prova de regularidade dos softwares utilizados.

Em geral, as auditorias são iniciadas após denúncias. A ABES disponibiliza um portal com as informações e procedimentos necessários para que qualquer pessoa informe o cometimento desse crime e contribua com o combate à pirataria.

Com isso, o desenvolvedor é comunicado da suspeita, notifica a empresa e solicita auditoria nas máquinas. Caso a organização discorde do procedimento amigável, os detentores de direito autoral adotam as medidas judiciais cabíveis, o que pode finalizar com a aplicação de multas expressivas.

A importância da regularização

O uso de softwares e soluções tecnológicas é uma necessidade das empresas contemporâneas. No entanto, muitos gestores ainda recorrem a sistemas piratas e de origem duvidosa.

Além de ser considerado um crime contra a propriedade intelectual, o hábito torna o negócio mais vulnerável à ação de hackers, abrindo espaço para o vazamento de dados sensíveis e confidenciais.

Sendo assim, investir em softwares originais e mantê-los sempre atualizados é uma prática essencial ao desenvolvimento empresarial e deve fazer parte do planejamento financeiro da organização.

Com mais de 14 anos de mercado, a BluePex é uma empresa pioneira no mercado de soluções de segurança e controle em TI no Brasil. O BluePex® Endpoint Control, por exemplo, auxilia na realização do inventário de TI, automatiza processos, facilita a realização de atualizações e o planejamento de investimentos na área.

A BluePex® recebe o selo Empresa Cidadã da APAE Limeira

A BluePex se alegra por mais este reconhecimento ao receber sua recertificação do selo Empresa Cidadã, da APAE Limeira.

A entrega da premiação foi realizada na quinta-feira dia 3 de outubro no Salão Social do Nosso Clube, fechando a décima quinta edição do Selo Empresa Cidadã, que reconhece e premia anualmente as empresas que colaboram com projetos que oferecem apoio à cerca de 650 pessoas com algum tipo de deficiência intelectual, atendidas gratuitamente pela associação em Limeira.

“Esse evento é uma forma de demonstrar às empresas parceiras da Apae Limeira todo nosso reconhecimento e gratidão” disse Luiz Carlos Marquesin, presidente da APAE Limeira.

A cerimônia contou também com apresentações de música e dança dos alunos do Projeto APAE Cultural.

Confira as fotos do evento – https://bluepex.com.br/a-bluepex-recebe-o-selo-empresa-cidada-da-apae-limeira/