A BluePex® recebe o selo Empresa Cidadã da APAE Limeira

A BluePex se alegra por mais este reconhecimento ao receber sua recertificação do selo Empresa Cidadã, da APAE Limeira.

A entrega da premiação foi realizada na quinta-feira dia 3 de outubro no Salão Social do Nosso Clube, fechando a décima quinta edição do Selo Empresa Cidadã, que reconhece e premia anualmente as empresas que colaboram com projetos que oferecem apoio à cerca de 650 pessoas com algum tipo de deficiência intelectual, atendidas gratuitamente pela associação em Limeira.

“Esse evento é uma forma de demonstrar às empresas parceiras da Apae Limeira todo nosso reconhecimento e gratidão” disse Luiz Carlos Marquesin, presidente da APAE Limeira.

A cerimônia contou também com apresentações de música e dança dos alunos do Projeto APAE Cultural.

Confira as fotos do evento – https://bluepex.com.br/a-bluepex-recebe-o-selo-empresa-cidada-da-apae-limeira/

Ajuda com crédito e otimização de processos de negócio são foco no terceiro dia de Feira do Empreendedor 2020

A palestra que abriu essa terça-feira de Feira do Empreendedor 2020 foi a de Celso Augusto, instrutor na área de finanças e sócio da empresa Evo Consultoria e Treinamento, que trouxe um conteúdo sobre a redução de custos fixos de uma empresa. Celso explicou que muitos negócios não têm ideia de quais são seus custos fixos, apenas os custos variáveis. “Muitas vezes, os donos de empresas fazem o cálculo de faturamento e subtraem os custos variáveis e dizem que está sobrando dinheiro. Todas as empresas têm um custo, seja indústria, comércio ou serviço. Mesmo um negócio pequeno que funciona dentro de casa”. O consultor também deu algumas dicas de como os empreendedores podem analisar esses custos e aplicar esforços para reduzi-los.

Transformando as relações com o cliente e consigo mesmo

A apresentação que seguiu foi de Léo Duarte, palestrante em assuntos de inovação e criatividade, que mostrou como a comunicação pode ser mais criativa para melhorar o processo de vendas. Para otimizar essa jornada, Duarte explica que é preciso entender alguns fatores para se conectar melhor com os clientes. “A gente precisa entender o que estamos vendendo e, em seguida, entender para quem estamos vendendo. Ao se focar apenas no produto, o cliente pode não se sentir relevante nessa equação da venda por não enxergar o benefício daquilo que está comprando”, disse. O palestrante também abordou a importância de ter um pitch, palavra inglesa usada para definir, de maneira clara e sucinta, uma ideia, principalmente em situações de venda.

A terceira palestra do dia foi do analista comportamental, Diego Rafael, que trouxe uma explicação sobre a jornada de transformação para alcançar a prosperidade. Uma das formas, apontadas por Diego, é buscar o equilíbrio no dia a dia, principalmente no tempo investido tanto nos negócios como nos cuidados pessoais. Para fazer isso, o analista informou que o ideal é sempre manter as metas e objetivos escritos, para que possa sempre os consultar.

Crédito no período de pandemia

No início da tarde, foi a vez de Luiz Marcelo Padilha, do Sebrae-PR, e Kátia Teixeira, empresária do setor de artigos esportivos de Foz do Iguaçu, conversarem sobre o acesso a crédito no momento de retomada. Marcelo apresentou como funcionou o programa Acelera Foz, que ofereceu linhas de crédito de mais fácil acesso para os empreendedores do município. Kátia compartilhou um pouco de sua experiência participando desse programa, com toda a facilidade e benefícios oferecidos nessa parceria.

Logo após foi o painel de João Stadler Colombo, da Colombo Assessoria, que falou sobre alternativas de crédito para investimentos e capital de giro. João explicou como funcionam as taxas de juros dos empréstimos e como elas são influenciadas pelo mercado. “Quanto maior a taxa de juros, maior a parcela de pagamento do crédito, já quanto maior o prazo para o pagamento, menor será essa parcela. A inflação é o que vai influenciar diretamente na taxa de juros”, explicou ele.

No fim da tarde, Renan Carneiro, do banco Sicoob, apresentou sobre gestão inteligente de crédito em tempos de crise. Segundo Renan, esse momento não é para cessar a concessão de crédito e sim para fazer isso de forma inteligente. “Se tem um momento que precisa ser concedido crédito inteligente, o momento é agora. Em 2019, o Sicoob ofereceu cerca de R﹩17,11 milhões em crédito para PJs, já nesse ano foi de R﹩ 33,29 milhões, informou Rafael.

Melhorando a relação com o cliente

Os especialistas em experiência do consumidor Elaine Mazzon e Charles Beck Varani comandaram uma apresentação sobre como os empreendedores podem ter sucesso na relação com os clientes. Ao explicar como funciona a customer experience, Charles comentou que essa é uma prática de gestão. “A gente sabe que o cliente tem diversos momentos de contato com a empresa, por exemplo, quando ele vê uma publicidade na rua ou acessa um ponto de venda, seja digital ou físico. A experiência fala em dar coerência para essa jornada, para que o consumidor possa compreender aquilo que é o diferencial da marca”, contou o especialista. Elaine comentou que o customer success está relacionado com o momento de o comprador voltar a fazer negócios com a empresa. “O sucesso dessa jornada consiste em mapear as estratégias para ficar no radar dos clientes. Então, é importante sempre medir a satisfação, o engajamento e fidelizar esses consumidores”, disse.

Otimizando a empresa

Para falar um pouco de formas de otimizar a empresa, Nilton Souza, da BluePex, trouxe um pouco de informação sobre tecnologia da informação para os negócios. Com relação a segurança digital, Nilton comentou que estar seguro não é apenas se proteger de ataques online. “Um ponto importante de entender é que ao falar de segurança da informação, também estamos falando da disponibilidade e funcionamento de um sistema. Por exemplo, se a pessoa não conseguir emitir uma nota fiscal, isso pode influenciar na venda e na produtividade de quem está acessando aquela rede”.

Logo após foi a vez de Rafael Buchweiser, do Pagseguro Pagbank, apresentou um conteúdo sobre como otimizar os processos e custos com novos meios de pagamentos. Rafael citou que os futuros empreendedores precisam buscar soluções de softwares para transações financeiras que sejam mais acessíveis e fáceis de serem entendidos.

Quem finalizou esse terceiro dia da Feira de Empreendedor 2020 foi Mayara Yano, do Banco Central, junto com Adriano Pereira da Silva, do Sebrae-PR, que comentaram um pouco do papel do PIX, novo meio de realizar transações bancárias de forma digital implementada no Brasil. Além de explicar como funciona o PIX, Mayara também citou como os pequenos negócios podem utilizar esse método de pagamento. “Você pode gerar um QR Code para receber o dinheiro. Se estamos falando de um pequeno negócio ou autônomo, é só o gerar no celular e mostrar para quem irá fazer o pagamento. As empresas que possuem um nível de automação maior, é possível integrar o PIX com o sistema de vendas com uma API que padronizamos”, exemplificou.

A Feira do Empreendedor 2020 acontece até o dia 26 de novembro, de maneira completamente digital. Para se inscrever e acompanhar todos os conteúdos, acesse: https://feiradoempreendedor2020.com.br/

Assista aos conteúdos do terceiro dia de Feira do Empreendedor 2020: https://youtu.be/T9UeMyd6zTY

Fonte: Sebrae-SP

Notícia divulgada no Portal:

Ajuda com crédito e otimização de processos de negócios são foco na FEDigital

A palestra que abriu essa terça-feira de Feira do Empreendedor 2020 foi a de Celso Augusto, instrutor na área de finanças e sócio da empresa Evo Consultoria e Treinamento, que trouxe um conteúdo sobre a redução de custos fixos de uma empresa. Celso explicou que muitos negócios não têm ideia de quais são seus custos fixos, apenas os custos variáveis. “Muitas vezes, os donos de empresas fazem o cálculo de faturamento e subtraem os custos variáveis e dizem que está sobrando dinheiro. Todas as empresas têm um custo, seja indústria, comércio ou serviço. Mesmo um negócio pequeno que funciona dentro de casa”. O consultor também deu algumas dicas de como os empreendedores podem analisar esses custos e aplicar esforços para reduzi-los.

Transformando as relações com o cliente e consigo mesmo

A apresentação que seguiu foi de Léo Duarte, palestrante em assuntos de inovação e criatividade, que mostrou como a comunicação pode ser mais criativa para melhorar o processo de vendas. Para otimizar essa jornada, Duarte explica que é preciso entender alguns fatores para se conectar melhor com os clientes. “A gente precisa entender o que estamos vendendo e, em seguida, entender para quem estamos vendendo. Ao se focar apenas no produto, o cliente pode não se sentir relevante nessa equação da venda por não enxergar o benefício daquilo que está comprando”, disse. O palestrante também abordou a importância de ter um pitch, palavra inglesa usada para definir, de maneira clara e sucinta, uma ideia, principalmente em situações de venda.

A terceira palestra do dia foi do analista comportamental, Diego Rafael, que trouxe uma explicação sobre a jornada de transformação para alcançar a prosperidade. Uma das formas, apontadas por Diego, é buscar o equilíbrio no dia a dia, principalmente no tempo investido tanto nos negócios como nos cuidados pessoais. Para fazer isso, o analista informou que o ideal é sempre manter as metas e objetivos escritos, para que possa sempre os consultar.

Crédito no período de pandemia

No início da tarde, foi a vez de Luiz Marcelo Padilha, do Sebrae-PR, e Kátia Teixeira, empresária do setor de artigos esportivos de Foz do Iguaçu, conversarem sobre o acesso a crédito no momento de retomada. Marcelo apresentou como funcionou o programa Acelera Foz, que ofereceu linhas de crédito de mais fácil acesso para os empreendedores do município. Kátia compartilhou um pouco de sua experiência participando desse programa, com toda a facilidade e benefícios oferecidos nessa parceria.

Logo após foi o painel de João Stadler Colombo, da Colombo Assessoria, que falou sobre alternativas de crédito para investimentos e capital de giro. João explicou como funcionam as taxas de juros dos empréstimos e como elas são influenciadas pelo mercado. “Quanto maior a taxa de juros, maior a parcela de pagamento do crédito, já quanto maior o prazo para o pagamento, menor será essa parcela. A inflação é o que vai influenciar diretamente na taxa de juros”, explicou ele.

No fim da tarde, Renan Carneiro, do banco Sicoob, apresentou sobre gestão inteligente de crédito em tempos de crise. Segundo Renan, esse momento não é para cessar a concessão de crédito e sim para fazer isso de forma inteligente. “Se tem um momento que precisa ser concedido crédito inteligente, o momento é agora. Em 2019, o Sicoob ofereceu cerca de R$17,11 milhões em crédito para PJs, já nesse ano foi de R$ 33,29 milhões”, informou Rafael.

Melhorando a relação com o cliente

Os especialistas em experiência do consumidor Elaine Mazzon e Charles Beck Varani comandaram uma apresentação sobre como os empreendedores podem ter sucesso na relação com os clientes. Ao explicar como funciona a customer experience, Charles comentou que essa é uma prática de gestão. “A gente sabe que o cliente tem diversos momentos de contato com a empresa, por exemplo, quando ele vê uma publicidade na rua ou acessa um ponto de venda, seja digital ou físico. A experiência fala em dar coerência para essa jornada, para que o consumidor possa compreender aquilo que é o diferencial da marca”, contou o especialista. Elaine comentou que o customer success está relacionado com o momento de o comprador voltar a fazer negócios com a empresa. “O sucesso dessa jornada consiste em mapear as estratégias para ficar no radar dos clientes. Então, é importante sempre medir a satisfação, o engajamento e fidelizar esses consumidores”, disse.

Otimizando a empresa

Para falar um pouco de formas de otimizar a empresa, Nilton Souza, da BluePex, trouxe um pouco de informação sobre tecnologia da informação para os negócios. Com relação a segurança digital, Nilton comentou que estar seguro não é apenas se proteger de ataques online. “Um ponto importante de entender é que ao falar de segurança da informação, também estamos falando da disponibilidade e funcionamento de um sistema. Por exemplo, se a pessoa não conseguir emitir uma nota fiscal, isso pode influenciar na venda e na produtividade de quem está acessando aquela rede”.

Logo após foi a vez de Rafael Buchweiser, do Pagseguro Pagbank, apresentou um conteúdo sobre como otimizar os processos e custos com novos meios de pagamentos. Rafael citou que os futuros empreendedores precisam buscar soluções de softwares para transações financeiras que sejam mais acessíveis e fáceis de serem entendidos.

Quem finalizou esse terceiro dia da Feira de Empreendedor 2020 foi Mayara Yano, do Banco Central, junto com Adriano Pereira da Silva, do Sebrae-PR, que comentaram um pouco do papel do PIX, novo meio de realizar transações bancárias de forma digital implementada no Brasil. Além de explicar como funciona o PIX, Mayara também citou como os pequenos negócios podem utilizar esse método de pagamento. “Você pode gerar um QR Code para receber o dinheiro. Se estamos falando de um pequeno negócio ou autônomo, é só o gerar no celular e mostrar para quem irá fazer o pagamento. As empresas que possuem um nível de automação maior, é possível integrar o PIX com o sistema de vendas com uma API que padronizamos”, exemplificou.

A Feira do Empreendedor 2020 acontece até o dia 26 de novembro, de maneira completamente digital. Para se inscrever e acompanhar todos os conteúdos, acesse: https://feiradoempreendedor2020.com.br/

Assista aos conteúdos do terceiro dia de Feira do Empreendedor 2020: https://youtu.be/T9UeMyd6zTY

Ajuda com crédito e otimização de processos são foco do terceiro dia da Feira do Empreendedor 2020

Evento acontece de forma digital até quinta-feira (26); inscrições são gratuitas e ainda podem ser realizadas

A redução de custos fixos de uma empresa foi tema da palestra de Celso Augusto, instrutor na área de finanças e sócio da empresa Evo Consultoria e Treinamento, na abertura do terceiro dia da Feira do Empreendedor 2020, nesta terça (24). Celso explicou que muitos negócios não têm ideia de quais são seus custos fixos, apenas os custos variáveis. “Muitas vezes, os donos de empresas fazem o cálculo de faturamento e subtraem os custos variáveis e dizem que está sobrando dinheiro. Todas as empresas têm um custo, seja indústria, comércio ou serviço. Mesmo um negócio pequeno que funciona dentro de casa”, disse. O consultor também deu algumas dicas de como os empreendedores podem analisar esses custos e aplicar esforços para reduzi-los.

Transformando as relações com o cliente e consigo mesmo

A apresentação que seguiu foi a de Léo Duarte, palestrante em assuntos de inovação e criatividade, que mostrou como a comunicação pode ser mais criativa para melhorar o processo de vendas. Para otimizar essa jornada, Duarte explicou que é preciso entender alguns fatores para se conectar melhor com os clientes. “A gente precisa entender o que está vendendo e, em seguida, para quem. Ao se focar apenas no produto, o cliente pode não se sentir relevante nessa equação da venda por não enxergar o benefício daquilo que está comprando”, disse. O palestrante também abordou a importância de ter um pitch, palavra inglesa usada para definir, de maneira clara e sucinta, uma ideia, principalmente em situações de venda.

A terceira palestra do dia foi do analista comportamental, Diego Rafael, que trouxe uma explicação sobre a jornada de transformação para alcançar a prosperidade. Uma das formas apontadas por Diego é buscar o equilíbrio no dia a dia, principalmente no tempo investido tanto nos negócios como nos cuidados pessoais. Para fazer isso, o analista informou que o ideal é sempre manter as metas e objetivos escritos, para que possa sempre consultá-los.

Crédito no período de pandemia

No início da tarde, foi a vez de Luiz Marcelo Padilha, do Sebrae/PR, e Kátia Teixeira, empresária do setor de artigos esportivos de Foz do Iguaçu, conversarem sobre o acesso a crédito no momento de retomada. Marcelo apresentou como funcionou o programa Acelera Foz, que ofereceu linhas de crédito de mais fácil acesso para os empreendedores do município. Kátia compartilhou um pouco de sua experiência participando desse programa, com toda a facilidade e benefícios oferecidos na parceria.

Logo após, veio o painel de João Stadler Colombo, da Colombo Assessoria, que falou sobre alternativas de crédito para investimentos e capital de giro. João explicou como funcionam as taxas de juros dos empréstimos e como são influenciadas pelo mercado. “Quanto maior a taxa de juros, maior a parcela de pagamento do crédito; já quanto maior o prazo para o pagamento, menor será essa parcela. A inflação é o que vai influenciar diretamente na taxa de juros”, explicou ele.

No fim da tarde, Renan Carneiro, da cooperativa de crédito Sicoob, explanou sobre gestão inteligente de crédito em tempos de crise. Segundo Renan, esse momento não é para cessar a concessão de crédito e sim para mantê-la de forma inteligente. “Se tem um momento em que precisa ser concedido crédito inteligente, o momento é agora. Em 2019, o Sicoob ofereceu cerca de R$17,11 milhões em crédito para PJs, já neste ano foi de R$ 33,29 milhões”, informou.

Melhorando a relação com o cliente

Os especialistas em experiência do consumidor Elaine Mazzon e Charles Beck Varani comandaram uma apresentação sobre como os empreendedores podem ter sucesso na relação com os clientes. Ao explicar como funciona a customer experience, Charles comentou que essa é uma prática de gestão. “A gente sabe que o cliente tem diversos momentos de contato com a empresa, por exemplo, quando ele vê uma publicidade na rua ou acessa um ponto de venda, seja digital ou físico. A experiência fala em dar coerência para essa jornada, para que o consumidor possa compreender aquilo que é o diferencial da marca”, contou o especialista.

Elaine comentou que o Customer Success está relacionado com o momento de o comprador voltar a fazer negócios com a empresa. “O sucesso dessa jornada consiste em mapear as estratégias para ficar no radar dos clientes. Então, é importante sempre medir a satisfação, o engajamento e fidelizar esses consumidores”, disse.

Otimizando a empresa

Para falar um pouco de formas de otimizar a empresa, Nilton Souza, da BluePex, trouxe dados sobre tecnologia da informação para os negócios. Com relação à segurança digital, Nilton comentou que estar seguro não é apenas se proteger de ataques online. “Um ponto importante de entender é que ao falar de segurança da informação, também estamos falando da disponibilidade e funcionamento de um sistema. Por exemplo, se a pessoa não conseguir emitir uma nota fiscal, isso pode influenciar na venda e na produtividade de quem está acessando aquela rede.”

Logo após Rafael Buchweiser, do Pagseguro Pagbank, apresentou um conteúdo sobre como otimizar os processos e custos com novos meios de pagamentos. Rafael citou que os futuros empreendedores precisam buscar soluções de softwares para transações financeiras que sejam mais acessíveis e fáceis de serem entendidos.

Quem finalizou o terceiro dia da Feira de Empreendedor 2020 foi Mayara Yano, do Banco Central, junto com Adriano Pereira da Silva, do Sebrae/PR, que comentaram um pouco do papel do PIX, novo meio de realizar transações bancárias de forma digital implementado no Brasil. Além de explicar como funciona o PIX, Mayara também citou como os pequenos negócios podem utilizar esse método de pagamento. “Você pode gerar um QR Code para receber o dinheiro. Se estamos falando de um pequeno negócio ou autônomo, é só o gerar no celular e mostrar para quem irá fazer o pagamento. Às empresas que possuem um nível de automação maior, é possível integrar o PIX com o sistema de vendas com uma API que padronizamos”, exemplificou.

FEDigital 2020

As inscrições podem ser feitas pelo site. A programação é 100% gratuita e ocorrerá até 26 de novembro, em ambiente online.

Por Renan Araújo

Notícia divulgada no Portal:

LGPD na prática: empresas buscam soluções para gestão de dados de clientes e colaboradores

Evento gratuito reúne especialistas da área de TI e Comunicação para apresentar cases e ferramentas práticas para adequação à Lei Geral de Proteção de Dados

Pesquisas apontam que poucas empresas brasileiras estão prontas para atender às normas impostas Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), nº 13.709/18. Levantamento realizada pela BluePex, empresa de segurança da informação, apurou que apenas 2% das pequenas e médias empresas (PMEs) estão totalmente preparadas para fazer a gestão de dados de clientes e colaboradores da forma prevista pela legislação. Visando apoiar profissionais, empreendedores e empresas neste processo, o Sebrae Paraná, em parceria com a Realize Hub, promove o DATA TIC Paraná, evento online e gratuito que acontece nos dias 23 e 24 de novembro.

O grande desafio existente não está na compreensão das exigências legais, que em síntese determinam um consentimento no uso dos dados pessoais, bem como em seu armazenamento, mas sim na dificuldade real das instituições de saberem quais ferramentas podem apoiar essa adequação.

Conforme avalia Victor Domingues, sócio-proprietário da Realize Hub e consultor do Sebrae-PR, será necessária uma grande reestruturação de sistemas para atender a legislação, sendo necessária uma boa preparação de profissionais e organizações para o novo momento. “A transformação digital se faz mais do que necessária para a sobrevivência e segurança dos negócios e, para isso, não faltam softwares de apoio, no entanto, é preciso torná-los conhecidos para o maior número de pessoas”, defende.

Ainda segundo o consultor, está sendo necessária uma mudança cultural e o desenvolvimento de novos processos, especialmente considerando que diversos setores empresariais estão sendo impactados pela legislação, desde Recursos Humanos, Marketing, Tecnologia da Informação até o Financeiro. Os palestrantes trarão cases e ferramentas para aplicação prática. Entre os nomes confirmados para promoção do debate estão representantes dos principais players do mercado, como a diretora de segurança da Accenture e líder da prática de privacidade e proteção de dados, Vanessa Fonseca, o diretor de Cybersecurity na Microsoft, Nycholas Szucko, a diretora de operações na Pontus Visio, Amanda Ferreira Mozena, o executivo do mercado digital, Tiago Barra. Mais informações sobre a programação pode ser obtidas no site para inscrição do evento, no site do Sympla: https://bit.ly/3nqbj3O.

Futuro e tendências
O DATA TIC também irá debater os desafios impostos pela pandemia da Covid-19 com o objetivo de auxiliar a comunidade de empreendedores indicando caminhos e oportunidades para a retomada econômica por meio de esforços nas áreas de Tecnologia da Informação e Comunicação. As palestras seguem um formato de apresentação de até 15 minutos e foram pensadas para apoiar profissionais de segmentos de TIC e de Marketing, Compras e Operações, Logística, Jurídico, Financeiro, Contábil, RH, Design. Também é indicado para a comunidade acadêmica de áreas como Marketing, Administração, Direito, Comunicação, Design entre outros.

Serviço:
Data TIC – LGPD – Compliance – Tendências
Data: dia 23 e 24 de novembro
Custo: Gratuito
Onde: YouTube
Inscrições: https://bit.ly/3nqbj3O

Esse evento tem como objetivo apresentar para empreendedores e profissionais de diversas áreas cases e ferramentas relacionadas à aplicação da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) de forma prática. Além disso, debater tendências, caminhos e oportunidades para a retomada econômica por meio de esforços das áreas de Tecnologia da Informação e Comunicação.

Realização: Realize Hub e Sebrae. Apoio: Associação Comercial do Paraná (ACP); Associação das empresas brasileiras de tecnologia da informação (Assespro PR); Sistema FIEP PR; PPA Advogados; ROIT; Woke; Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac).

SOBRE A REALIZE HUB

A Realize Hub é uma empresa de tecnologia especializada na aplicação de inteligência artificial para maximizar o alcance de resultados de seus clientes. Atuando de forma customizada em cada projeto, seus serviços compreende os seguintes eixos: Consultoria e Treinamento em Inovação, Gestão Estratégica e Marketing Digital; Inteligência de Mercado, Business Analytics e Pesquisa de Mercado; Data Science (Ciência de dados) e estratégia digital.

Notícia divulgada no Portal:

Ajuda com crédito e otimização de processos de negócio são foco no terceiro dia de FE 2020

O evento acontece de forma digital até a quinta-feira (26); as inscrições são gratuitas e ainda podem ser realizadas

Um levantamento feito pela BluePex, uma das principais empresas nacionais da área de segurança da informação, aponta que apenas 2% das pequenas e médias empresas (PMEs) se consideram totalmente preparadas para as normas impostas pela Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), que regulará trâmites envolvendo sobre a coleta e tratamento de dados pessoais dos brasileiros. Este número ínfimo de empresas prontas para a nova legislação contrasta diretamente com a proximidade no início da vigência da LGPD, que acontecerá provavelmente ainda em setembro deste ano.

O levantamento da BluePex ouviu 389 empresas de segmentos como saúde, autopeças, tecnologia, finanças, engenharia e energia durante os meses de julho e agosto, de todo o Brasil.

A palestra que abriu essa terça-feira de Feira do Empreendedor 2020 foi a de Celso Augusto, instrutor na área de finanças e sócio da empresa Evo Consultoria e Treinamento, que trouxe um conteúdo sobre a redução de custos fixos de uma empresa. Celso explicou que muitos negócios não têm ideia de quais são seus custos fixos, apenas os custos variáveis. “Muitas vezes, os donos de empresas fazem o cálculo de faturamento e subtraem os custos variáveis e dizem que está sobrando dinheiro. Todas as empresas têm um custo, seja indústria, comércio ou serviço. Mesmo um negócio pequeno que funciona dentro de casa”. O consultor também deu algumas dicas de como os empreendedores podem analisar esses custos e aplicar esforços para reduzi-los.

Transformando as relações com o cliente e consigo mesmo

A apresentação que seguiu foi de Léo Duarte, palestrante em assuntos de inovação e criatividade, que mostrou como a comunicação pode ser mais criativa para melhorar o processo de vendas. Para otimizar essa jornada, Duarte explica que é preciso entender alguns fatores para se conectar melhor com os clientes. “A gente precisa entender o que estamos vendendo e, em seguida, entender para quem estamos vendendo. Ao se focar apenas no produto, o cliente pode não se sentir relevante nessa equação da venda por não enxergar o benefício daquilo que está comprando”, disse. O palestrante também abordou a importância de ter um pitch, palavra inglesa usada para definir, de maneira clara e sucinta, uma ideia, principalmente em situações de venda.

A terceira palestra do dia foi do analista comportamental, Diego Rafael, que trouxe uma explicação sobre a jornada de transformação para alcançar a prosperidade. Uma das formas, apontadas por Diego, é buscar o equilíbrio no dia a dia, principalmente no tempo investido tanto nos negócios como nos cuidados pessoais. Para fazer isso, o analista informou que o ideal é sempre manter as metas e objetivos escritos, para que possa sempre os consultar.

Crédito no período de pandemia

No início da tarde, foi a vez de Luiz Marcelo Padilha, do Sebrae-PR, e Kátia Teixeira, empresária do setor de artigos esportivos de Foz do Iguaçu, conversarem sobre o acesso a crédito no momento de retomada. Marcelo apresentou como funcionou o programa Acelera Foz, que ofereceu linhas de crédito de mais fácil acesso para os empreendedores do município. Kátia compartilhou um pouco de sua experiência participando desse programa, com toda a facilidade e benefícios oferecidos nessa parceria.

Logo após foi o painel de João Stadler Colombo, da Colombo Assessoria, que falou sobre alternativas de crédito para investimentos e capital de giro. João explicou como funcionam as taxas de juros dos empréstimos e como elas são influenciadas pelo mercado. “Quanto maior a taxa de juros, maior a parcela de pagamento do crédito, já quanto maior o prazo para o pagamento, menor será essa parcela. A inflação é o que vai influenciar diretamente na taxa de juros”, explicou ele.

No fim da tarde, Renan Carneiro, do banco Sicoob, apresentou sobre gestão inteligente de crédito em tempos de crise. Segundo Renan, esse momento não é para cessar a concessão de crédito e sim para fazer isso de forma inteligente. “Se tem um momento que precisa ser concedido crédito inteligente, o momento é agora. Em 2019, o Sicoob ofereceu cerca de R$17,11 milhões em crédito para PJs, já nesse ano foi de R$ 33,29 milhões”, informou Rafael.

Melhorando a relação com o cliente

Os especialistas em experiência do consumidor Elaine Mazzon e Charles Beck Varani comandaram uma apresentação sobre como os empreendedores podem ter sucesso na relação com os clientes. Ao explicar como funciona a customer experience, Charles comentou que essa é uma prática de gestão. “A gente sabe que o cliente tem diversos momentos de contato com a empresa, por exemplo, quando ele vê uma publicidade na rua ou acessa um ponto de venda, seja digital ou físico. A experiência fala em dar coerência para essa jornada, para que o consumidor possa compreender aquilo que é o diferencial da marca”, contou o especialista. Elaine comentou que o customer success está relacionado com o momento de o comprador voltar a fazer negócios com a empresa. “O sucesso dessa jornada consiste em mapear as estratégias para ficar no radar dos clientes. Então, é importante sempre medir a satisfação, o engajamento e fidelizar esses consumidores”, disse.

Otimizando a empresa

Para falar um pouco de formas de otimizar a empresa, Nilton Souza, da BluePex, trouxe um pouco de informação sobre tecnologia da informação para os negócios. Com relação a segurança digital, Nilton comentou que estar seguro não é apenas se proteger de ataques online. “Um ponto importante de entender é que ao falar de segurança da informação, também estamos falando da disponibilidade e funcionamento de um sistema. Por exemplo, se a pessoa não conseguir emitir uma nota fiscal, isso pode influenciar na venda e na produtividade de quem está acessando aquela rede”.

Logo após foi a vez de Rafael Buchweiser, do Pagseguro Pagbank, apresentou um conteúdo sobre como otimizar os processos e custos com novos meios de pagamentos. Rafael citou que os futuros empreendedores precisam buscar soluções de softwares para transações financeiras que sejam mais acessíveis e fáceis de serem entendidos.

Quem finalizou esse terceiro dia da Feira de Empreendedor 2020 foi Mayara Yano, do Banco Central, junto com Adriano Pereira da Silva, do Sebrae-PR, que comentaram um pouco do papel do PIX, novo meio de realizar transações bancárias de forma digital implementada no Brasil. Além de explicar como funciona o PIX, Mayara também citou como os pequenos negócios podem utilizar esse método de pagamento. “Você pode gerar um QR Code para receber o dinheiro. Se estamos falando de um pequeno negócio ou autônomo, é só o gerar no celular e mostrar para quem irá fazer o pagamento. As empresas que possuem um nível de automação maior, é possível integrar o PIX com o sistema de vendas com uma API que padronizamos”, exemplificou.

A Feira do Empreendedor 2020 acontece até o dia 26 de novembro, de maneira completamente digital. Para se inscrever e acompanhar todos os conteúdos, acesse: https://feiradoempreendedor2020.com.br/

Assista aos conteúdos do terceiro dia de Feira do Empreendedor 2020: https://youtu.be/T9UeMyd6zTY

Notícia divulgada no Portal:

LGPD NA PRÁTICA: EMPRESAS BUSCAM SOLUÇÕES PARA GESTÃO DE DADOS DE CLIENTES E COLABORADORES

Evento gratuito reúne especialistas da área de TI e Comunicação para apresentar cases e ferramentas práticas para adequação à Lei Geral de Proteção de Dados

Pesquisas apontam que poucas empresas brasileiras estão prontas para atender às normas impostas Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), nº 13.709/18. Levantamento realizada pela BluePex, empresa de segurança da informação, apurou que apenas 2% das pequenas e médias empresas (PMEs) estão totalmente preparadas para fazer a gestão de dados de clientes e colaboradores da forma prevista pela legislação. Visando apoiar profissionais, empreendedores e empresas neste processo, o Sebrae Paraná, em parceria com a Realize Hub, promove o DATA TIC Paraná, evento online e gratuito que acontece nos dias 23 e 24 de novembro.

O grande desafio existente não está na compreensão das exigências legais, que em síntese determinam um consentimento no uso dos dados pessoais, bem como em seu armazenamento, mas sim na dificuldade real das instituições de saberem quais ferramentas podem apoiar essa adequação.

Conforme avalia Victor Domingues, sócio-proprietário da Realize Hub e consultor do Sebrae-PR, será necessária uma grande reestruturação de sistemas para atender a legislação, sendo necessária uma boa preparação de profissionais e organizações para o novo momento. “A transformação digital se faz mais do que necessária para a sobrevivência e segurança dos negócios e, para isso, não faltam softwares de apoio, no entanto, é preciso torná-los conhecidos para o maior número de pessoas”, defende.

Ainda segundo o consultor, está sendo necessária uma mudança cultural e o desenvolvimento de novos processos, especialmente considerando que diversos setores empresariais estão sendo impactados pela legislação, desde Recursos Humanos, Marketing, Tecnologia da Informação até o Financeiro. Os palestrantes trarão cases e ferramentas para aplicação prática. Entre os nomes confirmados para promoção do debate estão representantes dos principais players do mercado, como a diretora de segurança da Accenture e líder da prática de privacidade e proteção de dados, Vanessa Fonseca, o diretor de Cybersecurity na Microsoft, Nycholas Szucko, a diretora de operações na Pontus Visio, Amanda Ferreira Mozena, o executivo do mercado digital, Tiago Barra. Mais informações sobre a programação pode ser obtidas no site para inscrição do evento, no site do Sympla: https://bit.ly/3nqbj3O.

Futuro e tendências

O DATA TIC também irá debater os desafios impostos pela pandemia da Covid-19 com o objetivo de auxiliar a comunidade de empreendedores indicando caminhos e oportunidades para a retomada econômica por meio de esforços nas áreas de Tecnologia da Informação e Comunicação. As palestras seguem um formato de apresentação de até 15 minutos e foram pensadas para apoiar profissionais de segmentos de TIC e de Marketing, Compras e Operações, Logística, Jurídico, Financeiro, Contábil, RH, Design. Também é indicado para a comunidade acadêmica de áreas como Marketing, Administração, Direito, Comunicação, Design entre outros.

Notícia divulgada no Portal:

Falha no Chrome permite acesso de hackers aos computadores

Hackers podem aproveitar falha no Chrome para ter controle total de seus computadores

Uma falha na versão para desktop do Chrome permite que hackers acessem e tomem o controle do computador. Para tentar contornar o problema, o Google disponibilizou uma atualização e orienta que os usuários a instalem o quanto antes.

Segundo a organização Center for Internet Security (CIS), ainda não há indícios de que a vulnerabilidade tenha sido usada por criminosos virtuais, porém ela afeta os principais sistemas operacionais do mercado: Windows, macOs e Linux.

O problema se encontra no Blink — o motor de renderização das páginas —, que pode ser ativado por sites suspeitos. Nesse caso, ao visitar ou ser direcionado a uma página infectada, o computador pode se tornar alvo de hackers, que conseguirão instalar malwares, ter acesso a dados e criar usuários com acesso ilimitado ao sistema.

O risco a que os usuários estão expostos é grande, especialmente no caso de empresas e entidades governamentais. Isso porque, sendo explorada, a vulnerabilidade permite que um invasor obtenha dados confidenciais, supere restrições de segurança e execute ações sem autorização.

Proteja seus computadores

Cada vez mais as empresas têm investido em softwares de segurança para evitar se tornar vítimas de cibercriminosos. Para isso, o primeiro passo é buscar por um fornecedor licenciados a fim de evitar problemas após a instalação.

A BluePex® é uma das principais empresas da área de gestão de segurança e infraestrutura de TI do Brasil e entrega ao mercado soluções inovadoras, completas e de fácil integração, como o BluePex® Next-Generation Firewall.

Além disso, conforme orientação da CIS, após uma varredura para testar e verificar a existência de infecções, é essencial atualizar a versão do navegador oferecida pelo Google. Da mesma forma, o uso do Chrome como um usuário sem privilégios de administrador pode diminuir os possíveis efeitos de uma invasão.

Por fim, o treinamento e a conscientização dos colaboradores fecham a rede de proteção aos dados da empresa. É necessário que os colaboradores estejam cientes dos impactos causados pela visita a sites maliciosos e acesso a links de origem desconhecida.

Empresa estratégica da Defesa: BluePex faz parte da Defesa Nacional

No ano de 2008, o decreto de número 6.703 estabeleceu a Estratégia Nacional de Defesa, que traçou diretrizes para a modernização e fortalecimento das Forças Armadas Brasileiras, tendo em vista a segurança nacional. Um dos principais pontos dessa estratégia é o credenciamento e o apoio às chamadas Empresas Estratégicas de Defesa, as EEDs.

Você sabe o que isso significa?

As Forças Armadas reconhecem o importante papel da iniciativa privada no desenvolvimento de tecnologias que podem ser usadas para a defesa do País. Por isso, a lei 12.598/2012 criou uma série de incentivos para as empresas consideradas pelo Ministério da Defesa como estratégicas. Essas empresas, que passam por uma criteriosa avaliação, são aquelas que dispõem de conhecimento e de tecnologias essenciais para a manutenção da soberania nacional.

AS EEDs

A fabricante brasileira de soluções para controle e segurança da informação, BluePex®, conta com mais de 10 anos de expertise e pertence ao seleto grupo de Empresas Estratégicas de Defesa (EED) desde 2012.

O decreto de número 6.703 criou a Estratégia Nacional de Defesa, órgão que possui a responsabilidade de estabelecer as empresas essenciais para a manutenção da soberania nacional. As EEDs são avaliadas periodicamente pelo governo.

A BluePex®, além de possuir importante expertise e know-how no segmento, também investe em pesquisa e desenvolvimento de soluções nacionais. A qualidade e a importância deste posicionamento estratégico a levaram a uma avaliação positiva para a manutenção do EED.

Saiba mais clicando aqui!

ROUBO DE SENHAS: CONHEÇA OS MÉTODOS USADOS POR HACKERS

Não é novidade que hackear senhas é uma das maneiras mais comuns utilizadas por invasores para obtenção de acesso não autorizado. Afinal, pedir autenticação de um usuário através de um nome de entrada e uma senha é ainda a maneira mais amplamente usada de autenticação em todo o mundo. Como evitar o roubo de senhas.

Usando a técnica de combinação de letras, números e caracteres especiais, você aumenta muito a segurança, tornando mais difícil a chance de alguém quebrar a senha (ou adivinhá-la), porém infelizmente, estas são mais difíceis de serem mantidas. Pensando nisso, afirmamos que usando esta técnica, as senhas se tornam um dos elos mais fracos na cadeia da segurança de informação.

Os invasores externos e usuários maliciosos, possuem inúmeras maneiras de obtenção de senhas. Desde engenharias sociais, como também utilização de softwares, técnicas algorítmicas avançadas, analisadores de rede, keyloggers e etc.

Este artigo lhe dará uma visão geral das técnicas mais básicas. Ao final do artigo descreveremos resumidamente três possibilidades de quebra de senha citando alguns programas. A ideia é que, conhecendo os métodos utilizados, ampliaremos a chance de nos protegermos.

1 – Primeira técnica: Ataques de dicionário

Consiste na comparação de um grande conjunto de palavras, que incluem senhas comuns á um banco de dados de senhas.

Baseia-se em um arquivo de texto com palavras completas ou incompletas (caracteres agrupados) listadas em ordem alfabética. Para isto existe muitos programas e dicionários espalhados pela internet (lembre-se de utilizar dicionários com palavras inclusive em várias línguas). Quanto maior o dicionário, maiores serão as possibilidades.

Abaixo listamos alguns links populares que contém a lista de palavras:

2 – Segunda técnica: Ataque de força bruta

São tentativas utilizando combinações possíveis de números, letras e caracteres especiais até que a senha seja descoberta.

Tudo depende de como o usuário fez sua senha associada, assim como da velocidade do computador que está executando o software. Pode-se levar muito tempo (até mesmo anos).

Para evitar ações previsíveis, os hackers mais experientes tentam logins lentamente ou em momentos aleatórios, com isso as tentativas de login sem sucesso não se tornam tão óbvias evitando bloqueio de acesso por parte do programa que você está tentando descobrir a senha.

Essa é a razão da indicação de mudança de senha periódica. Afinal, quanto menor o intervalo de mudança, menor o risco das senhas serem decifradas. Na verdade, devido a grande maioria das senhas serem bastante fracas, essas tentativas exaustivas de quebra de senhas normalmente não são necessárias.

3 – Terceira técnica: Ataques Arco-íris

Consiste no uso de tabelas para decifrar diversos “hashs” de senha. Por hash de senha podemos entender que é a transformação de uma senha em algo cifrado utilizando um cálculo pré-definido.

A função hashing produz em geral um resultado de tamanho fixo e independente do tamanho da entrada original. As funções hashing mais conhecidas e usadas são a MD5 (Message Digest – compêndio de mensagens), que produz um resultado de 16 bytes (Rivest, 1992), e a SHA (secure hash algorithm – algoritmo seguro de hash), que produz um resultado de 20 bytes (NIST, 1995).

No ataque arco-íris são decifrados hashes do LM, NTLM, Cisco PIX, e MD5 muito mais rapidamente e com taxas de sucesso muito elevadas. São práticos e rápidos porque os hashes são pré-calculados (fruto da descoberta de uma técnica chamada de time-memory trade-offs, na qual hashes são calculados com antecedência ( descoberta feita pelo Dr. Oechslin , PhD, CISSP, palestrante e assistente de pesquisa sênior no Swiss Federal Institute of Technology, em Lausanne, e fundador e CEO da Objectif Sécurité).

Se você tem um bom conjunto de tabelas arco-íris, tais como aquelas oferecidas por sites como o ophcrack e o Project RainbowCrack (http://project-raibowcrack.com), é possível quebrar senhas em alguns segundos, minutos, ou horas em vez de dias, semanas, ou muito mais tempo (assim como os exigidos pelo dicionário e pelos métodos de força bruta).

É importante que todo responsável por segurança da informação, faça teste de suas senhas a fim de verificar o grau segurança das mesmas. Lembre-se que as senhas são submetidas a ferramentas de quebra, e eventualmente param de funcionar! Ou seja, as contas de usuário associadas podem ser bloqueadas, o que poderia interromper estes usuários!

Tenha cuidado caso o bloqueio contra invasores de sistemas esteja habilitado. mas se estiver habilitado, faça testes para medir seu grau de segurança contra estes ataques, pois poderá bloquear algumas ou todas as contas dos computadores da rede, resultando em uma espécie de situação de recusa de serviço para os usuários. Isso pode lhe gerar sérios problemas!

As recomendações para evitar que alguém externo obtenha êxito com ataques, são similares a outras recomendações citadas em nosso blog:

  • Tenha um Firewall UTM atualizado com regras constantemente sendo revisadas;
  • Tenha um bom antispam;
  • Tenha um bom antivírus;
  • Mude a senha constantemente pelo menos a cada 6 meses (não trocar por senhas similares a anterior);
  • Habilite, sempre que possível, autenticação de 2 fatores;

Em breve publicaremos outras técnicas avançadas, aguarde!

Encontre abaixo outros softwares sugeridos para quebra de senha:

  • Cain & Abel: http://www.oxid.it/cain.html – Ferramenta de recuperação de senha para sistemas operacionais da Microsoft Windows RDP, Cisco IOS e PIX hashes, senhas VNC, hashes RADIUS, etc. Ele permite a recuperação fácil de vários tipos de senhas.
  • John the Ripper: http://www.openwall.com/john/ – Inicialmente desenvolvido para sistemas unix-like, corre agora em vários sistemas operativos (como DOS, Windows, Linux, BSD, OpenVMS). Disponível em versão gratuita e paga, o John the Ripper é capaz fazer força bruta em senhas cifradas em DES, MD4 e MD5 entre outras.
  • Chknull: www.phreak.org/archives/exploits/novell – Verifica contas Novell Netware sem senha.
  • Elcomsoft Distributed Password Recovery: www.elcomsoft.com/edpr.html – Quebra o Microsoft Office, PGP, e senhas PKCS de forma distribuída utilizando até 10 mil computadores ligados em rede ao mesmo tempo. Além disso, essa ferramenta usa a mesma aceleração de vídeo GPU, como ferramenta Elcomsoft Wireless Auditor, que permite decodificação em velocidades até 50 vezes mais rápidas (falo sobre a ferramenta Elcomsoft Wireless Auditor no Capítulo 9).
  • Elcomsoft System Recovery: www.alcomsoft.com/esr.html – decifra ou redefine senhas de usuário do Windows, configura direitos administrativos e reseta todas as expirações de senha a partir de um CD bootável.
  • Ophcrack: http://ophcrack.sourceforge.net/ – Ophcrack é um cracker de senha do Windows baseado em tabelas de arco-íris.
  • Pandora: www.nmrc.org/project/pandora – Decodifica senhas Novell Netware online e off-line.
  • Proactive Password Auditor: www.elcomsoft.com/ppa.html – Executa força bruta, dicionário, e arco-íris contra hashes de senha LM e NTLM.
  • Proactive System Password Recovery: www.elcomsoft.com/pspr.html – Recupera praticamente qualquer senha armazenada do Windows, como senhas de logon, frases-chave WEP/WPA, senhas SYSKEY, e senhas RAS/dial-up/VPN.
  • Pwdump3: www.openwall.com/passwords/dl/pwdump/pwdump3v2.zip -Extrai hashes de senha do Windows do banco de dados SAM.
  • RaibowCrack: http://project-raibowcrack.com – Decifra hashes LanManager (LM) e MD5 muito rapidamente usando a tabela arco-íris.

A solução Segurança Avançada de E-mail te informa quando a sua senha foi vazada com o produto BluePex® Advanced Mail Security, saiba mais.

Read More